Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.8/584
Title: Avaliação do desempenho de sacos suspensos na coluna de água para o cultivo de bivalves na Ria de Aveiro, com ênfase para a ostra japonesa (Crassostrea gigas) e a amêijoa-boa (Ruditapes decussatus)
Author: Neto, Gina
Keywords: Aquacultura
Cultivo em Mesas
Bivalves
Cultivo suspenso na coluna de água
Defense Date: 14-Dec-2011
Abstract: A Ostra Japonesa (Crassostrea gigas) e a amêijoa-boa (Ruditapes decussatus) são espécies de elevado interesse económico sendo maioritariamente consumidas por todo o mundo e em particular nos países da Europa do Sul. Ambas as espécies são produzidas há quase duas décadas na região intertidal da Ria de Aveiro, utilizando actualmente técnicas similares às que foram implementadas no início da produção. Deste modo, existe uma necessidade crescente de modernização, de forma a implementar técnicas alternativas e/ou complementares às técnica já existentes, promovendo a optimização da produção de bivalves na ria de Aveiro. Este trabalho tem como objectivo, a avaliação do desempenho de sacos suspensos na coluna de água para o cultivo de bivalves na Ria de Aveiro, com ênfase para a ostra japonesa e a amêijoa-boa. Para tal, comparou-se a sobrevivência e crescimento (peso) das ostras em monocultivo suspenso na coluna de água, relativamente ao seu posicionamento face à corrente (contra e a favor) e à posição vertical na estrutura de cultivo (nível). Avaliou-se, ainda, o efeito do policultivo (amêijoa no nível superior e inferior da estrutura) no desempenho das ostras em relação à sua posição nos diferentes níveis da estrutura. Realizou-se a avaliação das diferenças na sobrevivência e no aumento de peso das ostras entre os dois modos de cultivo (sacos suspensos na coluna de água vs. mesas). Comparou-se, ainda, o desempenho das amêijoas em policultivo na coluna de água, relativamente à sua posição vertical na estrutura de cultivo (nível superior e inferior da estrutura). Os resultados revelaram que não há influência da corrente, nem da posição na estrutura (nível) para o desempenho das ostras em monocultivo. No entanto observou-se que as ostras em policultivo com a amêijoa-boa apresentaram um peso superior em relação às ostras do monocultivo, não tendo existido diferenças na sobrevivência. Os resultados mostraram, ainda, que existem diferenças na sobrevivência entre os dois modos de cultivo, ou seja, as ostras do cultivo em mesas apresentaram maior sobrevivência média em relação às ostras do cultivo suspenso, 38.8±3.3% e 25.4±2.6%, respectivamente. Já relativamente ao peso, as ostras do cultivo suspenso apresentaram maior crescimento médio do que as ostras das mesas, 32.7±6.7 g e 13.3±2.8 g, respectivamente. No que diz respeito à avaliação das amêijoas do policultivo, não foram observadas diferenças quer para a sobrevivência ou crescimento das mesmas. Ambos os modos de cultivo, utilizados neste trabalho mostraram ser eficientes para a produção de ostra japonesa. O cultivo suspenso revelou-se ainda como uma técnica favorável para a pré-engorda de amêijoa-boa. Tendo em consideração que existe um risco crescente da produção de bivalves em mesas na Ria de Aveiro se poder vir a tornar insustentável e/ou colapsar, é necessário implementar novas técnicas alternativas e/ou complementares às já existentes que tenham como suporte grupos de investigação multidisciplinares e novas tecnologias. Esta estratégia é fundamental para desenvolver uma aquacultura sustentável, moderna, eficiente e economicamente viável.
Description: Dissertação de Mestrado em Aquacultura apresentada à ESTM - Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Instituto Politécnico de Leiria
URI: http://hdl.handle.net/10400.8/584
Appears in Collections:Mestrado em Aquacultura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mestrado em Aquacultura_Gina Neto.pdf6,52 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.