Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.8/1409
Título: O lóbi praticado pelas associações na UE enquanto estratégia de Marketing : a contribuição das associações portuguesas para a definição do lóbi praticado pelas suas congéneres europeias em prol da economia nacional
Autor: Gomes, Nuno Miguel Duarte Gomes
Orientador: Conceição, Paulo Cordeiro da Conceição
Palavras-chave: Lóbi
Lobistas
União Europeia
Associações europeias
Associações nacionais
Regulamentação
Data de Defesa: 27-Mar-2015
Resumo: A sociedade no seu todo caminhou, desde sempre, lado a lado com a política, assumindo a sociedade ora um papel de influência na política, ora um papel influenciador. Aliás, estas duas realidades não deixam de ser uma só, já que a política é parte integrante da sociedade e a sociedade funciona igualmente como parte integrante da política. E é precisamente nesta relação estreita que se foram desenvolvendo estratégias de pressão por parte dos diferentes quadrantes da sociedade, com vista a influenciar as decisões políticas. Estamos então a referir-nos ao lóbi, que, à medida que as próprias formas de organização política se foram complexificando, também teve de se adaptar, acabando por se transformar num elemento fundamental para o funcionamento das modernas democracias. Um bom exemplo disso é a União Europeia, cuja organização política profundamente complexa se mostrou um terreno fértil para a proliferação de lobistas profissionais. É na UE que se tomam as mais importantes medidas que influenciam o dia-a-dia de todos os cidadãos dos Estados Membros e até mesmo do resto do planeta, dada a importância da UE no panorama mundial. Seguindo esta ordem de ideias, o lóbi enquanto ferramenta de pressão e de influência política acaba por estar na génese de muitas das orientações políticas saídas de Bruxelas. A prática do lóbi na UE tem diferentes atores, com objetivos distintos, o que implica uma planificação atenta da estratégia mais adequada para cada situação. Muitas destas estratégias baseiam-se em conhecimentos pluridisciplinares, onde predomina o domínio jurídico, comunicacional e, cada vez mais, de marketing. Sendo as associações europeias um dos principais intervenientes no que diz respeito ao lóbi praticado em Bruxelas e tendo estas como membros, em muitos casos, as associações nacionais, tentou-se perceber se as associações portuguesas têm ou não capacidade de também elas influenciar e participar na tomada de decisões sobre o tipo de pressão que as suas congéneres europeias praticam em Bruxelas. O lóbi é de facto um tema sensível, pois está muitas vezes conectado a práticas menos ortodoxas. Pretendeu-se, desta forma, ser pragmático na análise e fugir a polémicas, tentando então perceber se a pequena dimensão do país (geograficamente e economicamente) e a sua situação periférica acabam por influenciar na capacidade das suas associações participarem no lóbi praticado em Bruxelas. Concluiu-se, assim, que, na maioria dos casos, Portugal em termos associativos assume uma posição demasiado passiva, inclusivamente nos setores de atividade que seriam menos expectáveis, como o caso dos têxteis, do calçado e dos moldes. Faltou provar (tarefa que se mostra de difícil execução) se esse comportamento influencia ou não o desempenho económico e social do país. Mas não teremos dúvidas que produzirá muito mais efeitos negativos do que positivos.
Society as a whole has always walked side by side with politics, assuming either a role of influence on politics or a role as influencer. Besides, both realities are more likely to become as one, as politics is intrinsic to society and society works likewise - as an intrinsic part to politics. It is precisely from such a close relationship that pressure strategies coming from different parts of society have evolved, aiming at influencing political decisions. We are thus referring to the lobby practice; as political organization has grown more complex it also had to adapt, eventually becoming a fundamental part in the functioning of modern democracies. The European Union is a good example: its profoundly complex political organization has shown to be fertile ground for the proliferation of professional lobbyist. It is within the EU that the most important decisions influencing the daily lives of all Member States citizens are made and, given its position in the world scene, those decisions are likely to influence the rest of the planet. Following this set of ideas, lobbying as a pressure tool and political influence will eventually be at the origin of many political guidelines emerging from Brussels. Lobbying in the EU has different actors with different purposes, therefore involving a careful planning of the most suitable strategy for each situation. Many of these strategies are based upon multidisciplinary knowledge, where the legal and communication spheres are dominant, and marketing is growing. European associations are one of the main players regarding lobbying in Brussels; as their affiliates are in many cases national associations, we tried to understand if Portuguese associations have or have not the ability to influence and participate in the decision-making about the type of pressure their European counterparts practice in Brussels. Lobbying is indeed a sensitive matter, as it is frequently linked to less orthodox practices. Thus, we meant to be pragmatic while analyzing and staying away from controversy, as we tried to understand whether the small size of the country (geographic and economically speaking) and its peripheral location would influence the ability of its associations to participate in the lobbying activities practiced in Brussels. We concluded that in what Portugal is concerns, it plays a rather passive role, including within less expected activity sectors, such as textiles, shoes and moulds. We failed to evidence (a quite difficult task to carry out) if that behavior would or would not influence the economic and social performance of the country, but we have no doubts that it should bring forth more negative than positive effects.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Marketing Relacional apresentada à ESTG - Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria.
URI: http://hdl.handle.net/10400.8/1409
Designação: Mestrado em Marketing Relacional
Aparece nas colecções:Mestrado em Marketing Relacional

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MMR_Nuno Gomes_2015.pdfdissertação completa1,32 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.